Menu de Navegação

Caminho de Navegação

Página que exibe uma única notícia

JFSC realiza mesa de abertura em evento de apoio a refugiados

A mesa de abertura do simpósio “Refugiados e Migrantes em Santa Catarina: Como Acolher e Integrar?” ocorreu na manhã desta quinta feira (06/06/2019), na Justiça Federal em Santa Catarina (JFSC). O evento contou com os discursos da diretora do Foro da JFSC, Claudia Maria Dadico, do Governador do Estado de Santa Catarina, Comandante Moisés e outras autoridades integrantes da abertura.

Em seu discurso de abertura, a diretora do Foro da JFSC tomou de empréstimo as falas da juíza federal Ana Inés Algorta Latorre, que proferiu na Cúpula de Juízes sobre Direitos Sociais e Doutrina Franciscana, no Vaticano. “Arrisco-me a dizer que muitos de nós, senão todos os que estamos aqui, temos empreendido nossos esforços, dentro de nossas esferas de atuação profissional e fora dela, não somente para que as pessoas tenham garantida sua sobrevivência, como também para que a vida tenha significado e seja digna de ser vivida. E não para poucas pessoas, e sim para todas, bem como para as demais formas de vida que compartilham conosco a existência neste maravilhoso planeta. (…) Esta construção não se dará com armas ou com muros. Não se dará com ódio, exclusão e abandono. Ela se dará com amor e com cuidado. Este amor e este cuidado devem se materializar, inicialmente, em terra, trabalho e teto, bem como na proteção incondicional da natureza da qual fazemos parte.”

Claudia ainda citou o discurso de encerramento da Cúpula, feito pelo Papa, em que chamou os presentes de “poetas”. “Queridos magistrados: vocês têm um papel essencial. Deixem-me dizer que são também poetas; são poetas sociais, quando não têm medo de ‘serem protagonistas na transformação do sistema judicial baseado na coragem, na justiça e na primazia da dignidade da pessoa humana’ sobre qualquer outro tipo de interesse ou justificativa. Eu gostaria de concluir dizendo: felizes são aqueles que têm fome e sede de justiça, felizes são aqueles que trabalham pela paz.”

Para finalizar o discurso, a diretora do Foro concluiu com suas palavras: “E eu, nesse momento em que abrimos esse espaço de reflexão e construção de uma Santa Catarina mais hospitaleira e inclusiva, ouso tomar de empréstimo essas palavras do Estadista, para dizer que, nesse momento, somos todos poetas dedicados à construção de um mundo de plena realização dos direitos humanos, conquistados por tantas lutas e que por sua qualidade intrínseca não podem ser contidos ou limitados por muros ou fronteiras. Sejamos todos e todas, agora e sempre, poetas sociais, poetas da transformação.

Na sequência, a abertura foi finalizada para a realização da próxima mesa, com tema “Contexto e perspectiva sobre migração”, em que diversos assuntos foram abordados, como, por exemplo, o contexto global sobre migração, a retrospectiva histórica, política migratória e direito ao trabalho. Os eventos na JFSC duraram até 12h30 e outros prosseguem até a noite. Para acessar a programação das outras atividades, clique aqui.