Menu de Navegação

Caminho de Navegação

Página que exibe uma única notícia

Eproc: processo eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região tem mudanças na interface

O sistema de processo judicial eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região, o eproc, está ganhando cara nova. A partir dessa semana, a plataforma conta com uma nova página inicial e um novo cabeçalho no menu. A mudança já está ativada tanto para o primeiro grau, nas Seções Judiciárias do RS, de SC e do PR, quanto no segundo grau, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

“Essa atualização é algo que já estava mais do que necessário, atendendo a nossa preocupação de desenvolver novas funcionalidades para o sistema, fazendo-o funcionar de uma forma ainda melhor para atender ao nosso público usuário exigente”, explicou o coordenador do sistema eproc, juiz federal Sérgio Renato Tejada Garcia.

Nos últimos meses, a equipe de desenvolvimento do eproc está elaborando a nova interface, que apresenta novas cores e reorganiza atalhos para aprimorar a usabilidade da ferramenta.

“A mudança de layout do eproc é um trabalho que vai ser implantado ao longo de alguns meses durante esse ano. Estamos começando agora pela nova tela de login e pelo menu, justamente visando as questões de acessibilidade e ergonomia, buscando tornar a tela do sistema responsiva aos dispositivos móveis e proporcionar mais conforto pro usuário. Essa é a primeira mudança que fazemos na interface do usuário desde a implantação do eproc em 2009”, ressaltou o diretor de Tecnologia da Informação (TI) do TRF4, Cristian Ramos Prange.

Há uma preocupação constante com a forma de apresentar as informações nas mais variadas telas de consulta. A partir de agora, a relação do eproc com o usuário será mais próxima e interativa, e todos contribuirão para aprimorar suas telas e possibilitar uma navegação mais acessível, intuitiva, ergonômica e produtiva.

A nova interface do sistema está sendo construída a partir das sugestões de todos os usuários que desejam participar do projeto. Para viabilizar a participação, será disponibilizado na página inicial do eproc um banner com acesso a pesquisas e consultas, onde o usuário poderá encaminhar suas sugestões. Dessa forma, o processo de mudança será mais interativo e direcionado às necessidades dos usuários.

“A mudança vem justamente no momento em que estamos completando 10 anos do sistema. Uma data importante, pois ele está cada vez mais consolidado nacionalmente sendo utilizado por diversos órgãos. Então, a questão de se tornar um eproc nacional faz com que tenhamos de trazer melhorias e avanços na parte visual. Estamos sempre preocupados em entregar novidades e evoluir a plataforma de forma contínua, a mudança no layout, por exemplo, é um trabalho que já vem sendo pensado e desenvolvido há mais de seis meses”, complementou o diretor da Secretaria de Sistemas Judiciários do tribunal, Marlon Barbosa Silvestre.

As cores do eproc também mudaram. O azul e o vermelho foram substituídos pelas cores da Justiça Federal: azul para a interface do primeiro grau e verde para o segundo grau. Elas formam a nova identidade visual da ferramenta e são padronizadas para que o acesso aos graus de jurisdição tenha a mesma aparência para todas as categorias de usuários. Da mesma forma, haverá a uniformização das cores atribuídas aos elementos identificadores do eproc. Assim, a cor vermelha, por exemplo, deixa de ser utilizada na interface e passa a ser destinada apenas para sinalizações de urgências ou bloqueios.

Outro objetivo desta nova fase é tornar o eproc um sistema responsivo, isto é, adaptado a qualquer dispositivo (computador, notebook, smartphone, por exemplo), com a finalidade de proporcionar uma experiência funcional e confortável aos usuários em situações diversas como reuniões, tele-trabalho e audiências.

Todas as alterações tornam o ambiente mais intuitivo, facilitando a navegação sem necessidade de treinamento. E para melhorar o acesso às informações, as funcionalidades do eproc serão categorizadas, organizadas em grandes grupos, facilitando assim a busca de informações.

Saiba mais aqui.